Páginas

quarta-feira, 18 de julho de 2018

Novas eleições e futuras gerações: Mangaratiba e a região após a próxima década



Nesta terça-feira (17/02), o principal assunto daqui de Mangaratiba foi a possibilidade de que a data das eleições suplementares seja no dia 28/10, último domingo de outubro, quando, coincidentemente, teremos a realização do segundo turno do pleito geral. Porém, em meio a toda essa euforia, vieram a minha mente algumas reflexões...

Em novembro, Mangaratiba completará seu 187° aniversário e não falta muito para chegar o nosso bicentenário que será em 2031.

Bem, trata-se de uma data emblemática mas que traz consigo um certo significado. Principalmente quando pensamos em planejamento e na cidade que queremos para as próximas décadas.

Ora, pensando sobre a expectativa de arrecadação com os aguardados royalties do minério, que deverão ser pagos já neste ano, e o inevitável desenvolvimento que a região da Costa Verde pode experimentar já na próxima década com a exploração do pré-sal na Bacia de Santos, possivelmente o nosso orçamento deverá ganhar mais um dígito atingindo a cifra dos bilhoes de reais.

Assim, creio que chegaremos aos 200 anos irreconhecíveis tal como ocorreu com a próspera Região dos Lagos. Porém, do que adiantará mais dinheiro e investimentos se os governantes não sabem como gerir os recursos públicos?

Fato é, meus amigos, que, se não revermos a nossa conduta errante e não tirarmos os velhos hábitos de nossa política viciada, a cidade poderá continuar sofrendo por mais dois séculos. Pois, da mesma maneira como a Região dos Lagos não soube aproveitar as oportunidades com a exploração petrolífera na Bacia de Campos, o progresso que deverá vir trazendo inúmeras empresas para o litoral sul-fluminense acabará piorando a nossa condição nos aspectos ambientais e sociais.

Que diante desse desafio, haja em Mangaratiba uma visão ampla de sua realidade total (passado, presente e futuro) de modo que, se preciso for, possamos até nos opor contra um modelo de desenvolvimento que, na prática, acaba sendo muito ruim.

Ótima quarta feira a todos!

domingo, 15 de julho de 2018

Um sábado com muitas curtições



Ontem eu e Núbia aproveitamos bastante o dia de sábado e ficamos o tempo quase todo na rua.

Saímos cedo de casa. Tínhamos uma consulta com a dentista dela no Centro de Mangaratiba e partimos de Muriqui para lá logo de manhã. Estava um ambiente bem agradável, com o céu aberto e ensolarado, mas ainda assim fomos agasalhados.

Após à consulta com a Dra. Vanessa, resolvemos dar uma olhada nas novidades do Museu Municipal de Mangaratiba que fica bem perto dali, num antigo casarão da Rua Cel. Moreira da Silva, número 173. Estava rolando a exposição "A madeira como lei", do artista e escultor rondoniense Urubatan Oliveira Nunes.




Por ali mesmo resolvemos almoçar e fomos a um dos estabelecimentos do Brojo, um restaurante situado à beira mar. E, em seguida, achamos por bem passear pela agradável praça Robert Simões, fazendo uma paradinha num conjunto de prédios históricos onde, numa das casas, funciona um bar mix, com uma saborosa cerveja artesanal. Experimentei, mas Núbia ficou só na água tônica.



A partir das 15 horas, estava marcado para acontecer a 13ª edição do evento Beco Livre, o qual, desde o ano passado, vem contribuindo positivamente com o turismo de Mangaratiba, fazendo com que o local do Centro, cuja praia é poluída e de pequena extensão, passe a oferecer opções de entretenimento e lazer com qualidade para o público. Tanto para munícipes quanto visitantes.

Vale esclarecer que o Beco Livre é também uma oportunidade para que pequenos empreendedores possam apresentar seus produtos. Pois pagando um valor simbólico de apenas R$ 30,00 (trinta reais), pessoas têm podido vender lá seus doces, salgados, roupas, artigos de artesanato, obras de arte, bijuterias, além de prestarem alguns serviços tipo massoterapia. Sem esquecer de falar também das apresentações musicais e da interessante feira de troca de livros. Parte do espaço externo do Museu de Mangaratiba foi ocupado pelo evento.






Importante esclarecer que o nome Beco Livre deve-se ao fato de que ali, bem no Centro de Mangaratiba, ao lado do referido museu, existe o chamado Beco da Poesia. Trata-se de uma passagem entre a Avenida Litorânea e a Rua Coronel Moreira da Silva onde há várias citações poéticas enfeitando o local, a exemplo de uma de um texto do Fernando Pessoa, o preferido autor de Núbia.


Encontramos vários amigos e conhecidos lá, assim como conhecemos outras pessoas. Comi tanto doces como salgados, sendo que Núbia não dispensou o momento para fazer umas comprinhas nas barracas. E posso dizer que curtimos aquele ambiente de cultura e de convivência social até o comecinho da noite quando então pegamos um ônibus e voltamos pra Muriqui.

Mas se vocês acham que o nosso passeio terminou ali, engana-se. Pois, cá em Muriqui, ainda fomos dar uma volta até à festa julina que estava ocorrendo na praça principal do Distrito, a qual encontrava-se super movimentada. Trata-se de mais uma edição do Arraiá Municipá. E, embora fosse um evento mais massificado que o do Beco Livre, até que estava bem tranquilo, sendo que encontramos mais conhecidos pela rua.



A convite dos amigos, fomos ainda para um último evento, porém num ambiente particular. Ou seja, na casa de uma conhecida do grupo que promoveu ali uma festa julina para os amigos com vários caldos (tinha uma sopa de abóbora com carne seca deliciosa), doces típicos, salsichão e milho no espeto. O ambiente estava todo enfeitado com bandeirinhas e outros artigos. Muito show!







E assim terminamos nosso passeio retornando às duas da madrugada para casa, coisa que há tempos não fazíamos. Eu já não aguentava mais nem pensar em comida de tanto que nos empanturramos. Porém, foram momentos bem agradáveis e ótimos para descontrair.

quinta-feira, 12 de julho de 2018

Dias um pouquinho frios aqui no litoral



Para quem já morou na região serrana do estado, esse frio daqui do litoral é bem tranquilo. Até mesmo porque não temos um inverno com baixas temperaturas constantes, mas apenas com uns breves dias de variações térmicas como está ocorrendo esta semana.

Após ter passado a chuva de terça-feira, eis que as madrugadas de quarta e de hoje (12/07) foram frias. Ontem, no horário do almoço, estava agradabilíssimo caminhar debaixo do sol pelas ruas de Mangaratiba. Uma delícia!

Nesta manhã mesma, ao levantar da cama, resolvi agasalhar-me com o meu velho poncho boliviano (foto), o qual foi feito com o pelo da lhama. Este, para quem desconhece, trata-se de um mamífero ruminante típico da região andina da América do Sul, pertencente à família dos camelídeos. Tem como características uma pelagem longa e lanosa, sendo domesticado para a utilização no transporte de carga bem como na produção de lã, carne e couro.

Confesso nunca ter visto um animal desses na minha frente. Talvez possa não estar me lembrando agora de uma das visitas que fazia ao zoológico do Rio de Janeiro nos tempos de criança e adolescente. Porém, pelo que as enciclopédias mostram, a lhama seria um tipo de camelo em miniatura que os antigos incas domesticaram. E, como na cordilheira dos Andes as temperaturas são baixas, as pelagens servem para protegê-las do frio.

Entretanto, na única vez em que estive na Bolívia (julho de 1999), não vi nenhuma lhama e peguei um calorão danado. Só que também não fui nos Andes e sim na fronteira com o nosso estado de Mato Grosso do Sul, mais precisamente na região do Pantanal, em Corumbá. E até que chegou a frente fria, tínhamos que ligar o ventilador na pousada, embora as temperaturas caíssem um pouquinho à noite.

Por aqui, nesta época, não dá para ligar o ventilador pois só por algumas horas do dia é que chega a fazer mais do que 30ºC. E, como o ar fica mais seco do que no outono, as oscilações térmicas proporcionalmente aumentam mais. Logo, se em algum dia quente fizer mais do que 35ºC, poderemos amanhecer na data seguinte com menos de 20ºC.

De qualquer modo, procuro curtir os momentos gostosos de cada dia, apesar de andar gripado desde o começo do inverno. E, embora a desculpa a seguir não vale, sempre digo que adoraria estar indo à praia nos dias ensolarados, caso tivesse mais tempo.

Ótima quinta-feira, meus amigos!

domingo, 8 de julho de 2018

Um domingo de insegurança jurídica



Na manhã de hoje (08/07), fomos surpreendidos com uma inesperada decisão proferida pelo desembargador de plantão no Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4), Dr. Rogério Favreto, o qual determinou a soltura do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), preso desde 07 de abril deste ano em Curitiba. Ao apreciar liminarmente o habeas corpus impetrado pela defesa, o magistrado ordenou que:

"Cumpra-se em regime de URGÊNCIA nesta data mediante apresentação do Alvará de Soltura ou desta ordem a qualquer autoridade policial presente na sede da carceragem da Superintendência da Policia Federal em Curitiba, onde se encontra recluso o paciente" (leia AQUI a íntegra da decisão proferida no HC de n.º 5025614­40.2018.4.04.0000)

Tal ordem não foi cumprida pela Polícia Federal e nem pelo juiz de primeira instância, Dr. Sérgio Moro, o qual afirmou que o desembargador não tinha competência para mandar soltar Lula. Porém, posteriormente, o plantonista do TRF-4 voltou a determinar que Lula fosse solto. 

Por sua vez, o Ministério Publico Federal pediu a reconsideração da decisão sobre o pedido, sendo que, em seguida, o relator da Lava Jato em segunda instância, Des. João Pedro Gebran Neto, determinou que Lula fosse mantido preso. E, embora Moro estivesse de férias, a assessoria da Justiça Federal do Paraná informou que, "por ser citado como autoridade coatora no habeas corpus, ele entendeu possível despachar no processo".

Em resposta ao relator, o desembargador federal plantonista do TRF-4, reiterou a ordem de soltura do ex-presidente, manifestando-se sobre o posicionamento do colega, Dr. João Pedro Gebran Neto, ao afirmar que "deliberou sobre fatos novos relativos à execução da pena":

"Desse modo, já respondo a decisão (Evento 17) do eminente colega, Des. João Pedro Gebran Neto, que este magistrado não foi induzido em erro, mas sim deliberou sobre fatos novos relativos à execução da pena, entendendo por haver violação ao direito constitucional de liberdade de expressão e, consequente liberdade do paciente, deferindo a ordem de soltura"

Curiosamente, o desembargador plantonista, Dr. Favreto, já foi filiado ao PT, tendo se desfiliado do partido para assumir o cargo no Tribunal. E, em setembro de 2016, durante votação da Corte Especial do TRF-4, foi o único do Colegiado que votou a favor da abertura de um processo administrativo disciplinar contra Moro e por seu afastamento cautelar da jurisdição, até a conclusão da investigação.

Hoje mesmo, em meio à polêmica criada, mas sem citar o caso concreto, a presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministra Cármen Lúcia, afirmou numa nota que a Justiça é "impessoal" e que os ritos do Poder Judiciário devem ser "respeitados". Segundo ela, a democracia brasileira é "segura" e os órgãos judiciários competentes de cada região devem "atuar para garantir que a resposta judicial seja oferecida com rapidez e sem quebra da hierarquia".

Seja como for, entendo que a decisão do plantonista deve ser respeitada, apesar de não concordar com ela. Em outras palavras, nem Moro e nem a Polícia Federal poderiam ter mantido Lula preso na data de hoje, muito embora amanhã mesmo o desembargador relator poderá modificar o que foi decidido neste domingo.

Durante o dia, vários memes circularam pelos aplicativos de smartphones e sites de relacionamentos na internet quanto aos impasses da Justiça acerca da soltura de Lula. Pois, por mais sério que seja o assunto, o povo brasileiro nunca perde a oportunidade para descontrair cultivando o bom humor.


Diante de toda a insegurança jurídica de hoje, uma certeza eu tenho. É que, graças a essa notícia, a audiência do Fantástico logo mais está garantida.

Ótima semana a todos!

sexta-feira, 6 de julho de 2018

Nota sobre a eliminação brasileira na Rússia



Sem precisar apelar pro velho "mi-mi-mi", considero que o Brasil perdeu de cabeça erguida a partida desta sexta-feira (06/07) contra a Bélgica.

Fomos eliminados por uma das melhores seleções deste Mundial e erramos por nossa própria responsabilidade no que se refere às falhas de defesa e de ataque. Aliás, que vacilo não demos no segundo gol do adversário?!

Hoje não foi aquela derrota humilhante do Mineirão em 2014, quando fomos goleados vergonhosamente pela Alemanha num placar de 7 a 1. Desta vez, tentamos reagir no segundo tempo, porém não deu.

Alguém ainda ousaria botar a culpa no juiz? De jeito nenhum, meus amigos, pois eventuais falhas da arbitragem não foram determinantes para o infeliz resultado.

Agora a competição segue sem nenhuma equipe sulamericana permanecendo nos jogos e torcerei para que os belgas vençam os franceses no dia 10.

Por sua vez, estarei a favor da Suécia (país da rainha Sílvia) contra a Inglaterra na partida de amanhã. E só não ficarei contra a Rússia a fim de que a Copa não se torne um evento triste para os anfitriões.

Concluindo, quero que o bom futebol continue brilhando na competição e que possamos valorizar aquilo que cada um fez de melhor no time brasileiro. Inclusive reconhecer o trabalho do nosso treinador Tite, o qual, a meu ver, deve permanecer no comando da seleção. Vida que segue.

Em tempo! Podemos ter perdido a Copa, mas continuamos sendo brasileiros e amando a nossa Nação. Por isso, independentemente do resultado do futebol, não deixemos de celebrar o que realmente importa de modo que a seguir compartilho um vídeo recebido via WhatsApp, com o Hino Nacional muito bem tocado. Algo é digno de ser saboreado até o final.


Ótima noite, meus amigos, e tenham um excelente final de semana!

OBS: Créditos autorais da foto acima atribuídos a Fernando Frazão/Agência Brasil, conforme consta em http://agenciabrasil.ebc.com.br/brasil-perde-para-belgica-e-esta-fora-da-copa-do-mundo?id=118686 

quarta-feira, 4 de julho de 2018

Um plano bem diabólico da extrema direita...



Alguém já se questionou por que o pré-candidato direitista do PSL, Jair Bolsonaro, defende que o Supremo passe a ter 21 ministros? Pois foi isso mesmo que ele defendeu, conforme consta numa matéria recente do jornal Folha de São Paulo (clique AQUI para saber).

Ora, não é preciso ler sobre teorias conspiratórias para desenvolvermos esse senso crítico acerca da proposta pois, a meu ver, está evidente que ele quer aumentar o número de membros do Douto Colegiado para ter mais influência sobre as decisões proferidas Côrte. Isto porque, a princípio, partiriam dele as indicações dos dez novos magistrados do maior órgão do Judiciário brasileiro. 

A questão é simples! Se Bolsonaro, por acaso, conseguir vencer as eleições, depois tomar posse e vier a sentar naquela cadeira, como fará para impor medidas inconstitucionais e que violam os direitos humanos? Certamente que ele terá dificuldades com a atual composição do STF pois foram juristas indicados por presidentes democráticos e que defendem os princípios basilares da Carta Magna. Vejam, por exemplo, os embaraços que a Suprema Côrte dos EUA tem imposto ao presidente norte-americano Donald Trump quanto à imigração...

Porém, se o tal do "mito" colocar lá gente da confiança dele, bastará depois cooptar mais alguns ministros corruptos (ou aguardar que dois ali se aposentem aos 75 ou morram) para que consiga manter tudo aquilo que pretende e, enfim, conduzir o país a uma ditadura fascista. Logo, será muito fácil obter interpretações distorcidas quanto à nossa Constituição e às reformas que intenciona fazer passando por cima de imexíveis cláusulas pétreas.

Vale lembrar que, em 2017, durante uma palestra no Clube Hebraica Rio de janeiro, conforme uma denúncia da PGR apresentada ao Supremo, Bolsonaro usou expressões de cunho discriminatório, "incitando o ódio e atingindo diretamente vários grupos sociais". Na ação, a procuradora-geral da República, Raquel Dodge, pediu que ele fosse condenado pelo crime, imprescritível e inafiançável, e multado em R$ 400 mil por danos morais coletivos. Mas, se mudar a composição do STF depois de eleito e puder indicar novos ministros, obviamente escapará de uma provável condenação.

Portanto, fiquem alertas, meus amigos, e não deixemos esse sujeito chegar na Presidência da República. Pois, mesmo num Estado democrático, os filhotes de Hitler podem perverter todo um sistema e emburacar a nação.

Bolsonaro, não! Nem que eu, por falta de opção, tenha que votar no Ciro Gomes ou num candidato do PT em decisão de segundo turno...

segunda-feira, 2 de julho de 2018

As eleições no México seriam uma reação a Trump?



Nesta segunda-feira em que a seleção brasileira entra em campo contra a equipe do México pela Copa da Rússia, eis que os nossos adversários no futebol estão aguardando o resultado da escolha de um novo presidente.

Depois de muitos anos governados pelo Partido Revolucionário Institucional (PRI), eis que os eleitores de lá resolveram renovar dando um passo à esquerda. Andrés Manuel López Obrador, candidato da coalizão de esquerda Movimento Regeneração Nacional (Morena), deve ter mais de 40% dos votos, segundo projeções dos institutos de pesquisas baseadas na boca de urna,.segundo informações passadas pelo portal de notícias G1 (clique AQUI para ler a matéria na íntegra):

"O instituto Consulta Mitofsky atribui a López Obrador entre 43% e 49% dos votos, o jornal El Financiero, 49%, e o Gabinete de Comunicação Estratégica, 43,2%, o que representa mais de 20 pontos de vantagem sobre Ricardo Anaya, da coalizão conservadora apoiada por parte da esquerda, e de José Antonio Medade, do governista Partido Revolucionário Institucional (PRI)."

Trata-se de uma escolha que, a meu ver, seria uma reação à política xenófoba e intolerante do presidente norte-americano Donald Trump. Aliás, é possível que, de agora em diante, o mundo comece a se impor mais para negociar os seus interesses frente aos EUA, o que poderá causar uma onda nacionalista em diversos lugares.

No caso das eleições brasileiras previstas para outubro, é pouco provável que algo semelhante ocorra visto que a esquerda aqui encontra-se desgastada. Porém, é possível que, num cenário sem Lula, tenhamos uma candidatura de centro vencendo o segundo turno contra o presidenciável de extrema direita, Jair Bolsonaro.

OBS: Créditos autorais da imagem atribuídos a Juán Carlos Cruz/EFE/Agência Brasil, conforme extraído de http://agenciabrasil.ebc.com.br/internacional/noticia/2018-07/mexico-vai-urnas-hoje-escolher-novo-presidente

sexta-feira, 29 de junho de 2018

Será que teremos quatro "feriados" em julho?



A primeira fase da Copa (de classificação dos grupos) já passou sendo que hoje é o primeiro dia em que estamos tendo uma breve golga dos jogos do Mundial desde que competição se iniciou em 14/06. Amanhã, porém, começa o mata-mata das oitavas em que serão duas partidas diárias até 03/07. O Brasil entra em campo dia 02/07, às 11 horas da manhã, no horário de Brasília, de modo que as ruas deverão ficar bem vazias como esta da foto acima que extraí da edição de 27/06 do blogue Notícias de Itacuruçá.

Pois é. Estava aqui pensando que, se a seleção passar pelo México, pegará a Bélgica ou o Japão dia 06/07 (próxima sexta-feira). Mais provável que, nas quartas do Mundial, serão os belgas os nossos adversários numa partida que imagino ser dificílima pois trata-se de uma equipe que vem jogando um bolão. E, na hipótese de irmos para as semifinais (10/07), poderemos ter que disputar contra Uruguai, Portugal, França ou Argentina. E nisto já calculo um encurtamento de menos três dias úteis no calendário sendo que este final de semana próximo poderá ser considerado um "feriadão" bem propício para as pessoas pegarem a estrada e viajar.

Bem, se chegarmos até à final (15/07), creio que muitos brasileiros que torcem hoje contra a própria seleção irão comemorar não necessariamente pelos êxitos da equipe mas, sim, pelas três pontos facultativos que estaríamos ganhando em julho que é um mês sem feriados nacionais. Isto porque, embora o torcedor esteja na bronca com a seleção por causa das cotidianas insatisfações políticas e a inesquecível derrota de 7 a 1 para os alemães em 2014, qual brasileiro, a exceção dos empresários, não gosta de uma folga em seu trabalho?

Seja como for, só a conquista do hexacampeonato irá redimir a seleção e pacificar os ânimos da galera hoje revoltada com a bolinha (apesar de muitos continuarem torcendo fanaticamente por seus clubes). Afinal, o brasileiro é extremamente exigente com o desempenho de seus atletas e treinadores. Principalmente em se tratando de matéria de futebol.

Ótimo final de semana a todos!

quarta-feira, 27 de junho de 2018

Réus em ações penais também não podem suceder prefeitos e nem governadores!



Um recente acórdão do TSE indeferiu o registro de candidatura do prefeito daqui de Mangaratiba/RJ, Sr. Aarão de Moura Brito Neto, determinando a comunicação ao TRE, visando à realização de novo pleito majoritário no Município, nos termos do voto da Exma. Sra. Relatora, Min. Rosa Weber.

Entretanto, tal decisão, publicada em 26/06/2018 e republicada na data de hoje (27), ao determinar a realização de eleição suplementar no Município, não previu uma data confirmada para que ocorra o novo pleito. Logo, por via de consequência, o Presidente da Câmara Municipal, Sr. Vitor Tenório Santos, mais conhecido como "Vitinho", é quem irá logo suceder o prefeito, assumindo interinamente a Prefeitura sabe-se lá por quanto tempo.

Ocorre que o atual presidente do Poder Legislativo Municipal foi denunciado pela suposta prática do crime previsto no artigo 298 do Código Penal, por dezesseis vezes (autos eletrônicos n.º 0018163-33.2017.8.19.0000). Tal denúncia foi recebida pelo Segundo Grupo de Câmaras Criminais do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro, por se tratar de denunciado com foro por prerrogativa de função, decorrente do exercício do cargo de vereador, podendo o andamento do processo ser visualizado pelo sistema de consultas do TJERJ via internet.

Como é de conhecimento geral, o Supremo Tribunal Federal já pacificou que réus em ação penal não podem substituir o presidente da República. E, com base nesse entendimento, o Plenário do STF decidiu, em 07/12/2016, que, na condição de réu, o então presidente do Senado Federal, o senador Renan Calheiros (PMDB-AL), não poderia substituir o presidente da República em seus impedimentos eventuais. Na ocasião, a maioria dos ministros votou pela sua manutenção no cargo de presidente do Senado, porém afastando o parlamentar da linha sucessória da Presidência da República.

Vale informar que esta decisão do STF se deu no referendo da liminar proferida na Arguição de Descumprimento de Preceito Fundamental (ADPF) n.º 402, na qual o partido político Rede Sustentabilidade questionou a possibilidade de réus em ação penal perante o STF poderem ocupar cargos que estão na linha de substituição na Presidência da República. Até que, em fevereiro de 2017, ficou decidido que réus na linha sucessória da Presidência da República estão impedidos de substituir o presidente.

Assim sendo, pelo princípio da simetria constitucional, o qual é um princípio federativo que exige uma relação simétrica entre os institutos jurídicos da Constituição Federal, as Constituições dos Estados-Membros e as Leis Orgânicas dos Municípios, deve o mesmo raciocínio jurídico aplicado pelo STF aos sucessores do Presidente da República valer também para os presidentes das casas legislativas que sucedem os governadores dos estados e prefeitos dos municípios. Ou seja, se o vereador presidente de uma Câmara Municipal for réu em ação penal, a exemplo do que atualmente ocorre em Mangaratiba, o mesmo não deve suceder o prefeito na hipótese de haver vacância do cargo deste e do seu vice.

Esse entendimento está baseado no que diz o Artigo 86 da Constituição Federal, segundo o qual o presidente ficará suspenso de suas funções, "nas infrações penais comuns, se recebida a denúncia ou queixa-crime pelo Supremo Tribunal Federal". Logo, pelo princípio da simetria constitucional, devem também os governadores e prefeitos ficarem suspensos de suas respectivas funções quando também forem réus, mesmo que não seja perante o STF.

No caso daqui de Mangaratiba, como já colocado acima, o presidente da Câmara Municipal é réu perante a 2ª instância do Eg. Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro e, por tal motivo, não pode ocupar o cargo de Chefe do Poder Executivo Municipal, sendo, portanto, necessário que o Ministério Público ou algum legitimado ingresse o mais rapidamente com uma ação judicial a fim de afastá-lo da linha sucessória da Prefeitura Municipal de Mangaratiba.

Lamentavelmente, o que se vê em Mangaratiba acontece também em inúmeras cidades brasileiras em maior ou menor grau. Nossa política local encontra-se de fato apodrecida e os últimos fatos demonstram isso. Pois temos aqui um prefeito cassado em 2010, um vereador assassinado, outro prefeito preso (2015), o mesmo prefeito anteriormente cassado novamente perdendo o cargo este ano e agora um vereador réu em ação penal prestes a assumir a cadeira número um da cidade.

Verdade seja dita que hoje o maior desafio no país não seria apenas corrigir os males da vida nacional lá em Brasília, mas, sim, promover a mudança em cada um dos seus mais de 5.500 municípios espalhados por esse vasto território. E, sendo assim, entendo que muito mais importante do que a atuação da Justiça, do Ministério Público e da Polícia é termos uma profunda reforma política capaz de devolver o poder ao cidadão a começar pelo lugar onde as pessoas vivem - o Município.

segunda-feira, 25 de junho de 2018

Enfim o brando inverno fluminense...



Até que enfim chegou o tempo do frio e agora só devemos sair do inverno na segunda metade de setembro.

Mas quem foi que disse ser o nosso inverno daqui no litoral do Estado do Rio de Janeiro o tempo todo frio?!

Fato é que, com a entrada da estação na semana passada, temos vivido dias de bastante sol embora com quedas de temperatura à noite. Nossas manhãs têm sido amenas e, entre às 11 e 15 horas, pode fazer um bocado de calor capaz de passar dos 30ºC. Com isto, caso não chegue por aqui uma inesperada frente fria, dá tranquilamente para ficar na praia debaixo de um suave sol de inverno.

Deste modo, eu e Núbia fizemos uma caminhada no último sábado (23/06). Andamos com trajes de verão pela orla de Muriqui, localidade balneária onde moramos, e chegamos a ver umas poucas famílias na praia com uns raros corajosos entrando na água. Talvez houvesse umas 100 pessoas distribuídas por uma estreita extensão de pouco mais de um quilômetro de areia.


O bom desse tempinho é que dá perfeitamente pra sair bem vestido de casa para ir trabalhar no Centro de Mangaratiba. Colocar uma camisa de manga longa com um paletó por cima torna-se suportável, ainda que eu chegue a suar na caminhada até o ponto de ônibus.

À noitinha, comer um caldo de feijão, um chocolate quente ou um mingau são cardápios que caem muito bem nesta época do ano. E, sinceramente, não vejo a hora de curtir uma boa festa junina com aqueles doces típicos, podendo sair com um gostoso agasalho pelas ruas junto com Núbia.

Infelizmente, o Dia de São João (24/06) caiu num domingo e a cidade está passando por uma excepcional crise de gestão por causa da anulação das eleições locais, além do momento de crise financeira vivido genericamente pelos municípios brasileiros. Porém, eis que para o dia 30/06, no Centro de Mangaratiba, a partir das 18 horas, a associação comercial de lá estará organizando um evento festivo. E, se conseguirmos carona (pois à noite os ônibus ficam escassos), talvez iremos passear na cidade. Aliás, foi uma inteligente iniciativa dos empresários locais organizarem esse "arraiá" sem dependerem do apoio institucional da Prefeitura...


De qualquer modo, vamos caminhando e nos exercitando por aqui enquanto podemos. Pois, residindo apenas umas três quadras da praia, seria até um desperdício não aproveitarmos o que temos por perto. Mesmo se for apenas para ir até lá tomar um breve banho de sol.


Assim vou curtindo os jogos da Copa neste friozinho gostoso que logo passará quando chegar agosto, em que entraremos no pleno período seco. Porém, até o final do inverno será um calor suportável com noites agradáveis em que mesmo a temperatura passando dos 35ºC de dia, acabamos tendo que puxar um cobertor básico para dormirmos bem.

Ótima noite, meus amigos!

Uma relíquia num velho álbum de família



Na noite de sábado (23/06), mexendo nas fotos antigas da época dos meus saudosos avós paternos, encontrei algo que deve interessar a muitos colecionadores de automóveis. 

Embora a fotografia não tivesse em seu verso uma datação de quando foi registrada a imagem e nem a referência ao local, fiquei curioso em saber que carro teria sido aquele. Tratei logo de fazer uma postagem no Facebook para "perguntar aos universitários". 

Com a ajuda de um culto internauta de Brasília, o Toninho, descobri tratar-se de um Chrysler produzido por volta da metade do século passado, mas não foi possível concluir qual teria sido o modelo. Segundo ele:

"Está me parecendo mais um Chrysler, que saía tanto como DeSoto como Dodge, mas não deu para definir direito. Clique no link para ver o carro a que me referi. Aliás, a Chrysler tinha também a marca Plymouth." 

De qualquer modo, creio ter sido um luxo para a época vivida alguém dirigir um carro potente como aquele. Aliás, pelas demais fotos que encontrei, não somente o meu avô Sylvio resolveu tirar uma "onda" deixando-se fotografar no automóvel de um conhecido assim como também o fizeram a minha avó e o meu pai.

Para a atualidade, carros assim só mesmo em museus ou para serem usados em ocasiões muito especiais, tipo um casamento ou uma exposição, já que são verdadeiros beberrões de combustíveis. Aliás, acho que nem eu gostaria de pilotar algo tão grande e espaçoso.

domingo, 24 de junho de 2018

Prestigiando o aniversário de um amigo



Não é sempre que tenho tempo e disponibilidade para estar nos eventos feitos pelos amigos, porém, às vezes, é preciso uma dose de esforço de nossa parte para realizarmos certas coisas.

Neste domingo (24/06), procurei corresponder a um convite de um companheiro de partido que mora do outro lado do Município de Mangaratiba, mais precisamente na localidade de Conceição de Jacareí, bem na divisa com Angra dos Reis. Trata-se do Evando "Perninha", o qual identificamos pelo apelido em razão de sua perna mecânica no membro inferior direito. E, embora não seja tal conduta hoje em dia considerada como politicamente correta, cuida-se o chamamento de uma referência carinhosa das pessoas que o conhecem.


Por eu não ter carro e estando muito atarefado com os compromissos laborais, visto que passei a manhã trabalhando em frente ao computador enquanto passava um dos jogos da Copa, acabei pegando uma carona com um outro amigo que também mora aqui em Muriqui, fazendo parte do nosso grupo. Saímos meio que em cima da hora, quando a partida do Japão e Senegal encontrava-se no intervalo, e só chegamos quando já estavam servindo o churrasco.

Foram pouco mais de duas horas almoçando até o parabéns. E, como já tinha ingerido bastante carne, não houve espaço para o sorvete e nem para o bolo. Somente duas garrafinhas de ice tea e uma latinha única de cerveja Brahma, a qual considero mais saudável que o refrigerante, apesar de alcoólica.


Retornei para casa por volta das 17 horas, vindo também de carona com o mesmo amigo de Muriqui. E a estrada encontrava-se tranquila quanto ao trânsito no sentido Angra - Rio, por estarmos estarmos na baixa temporada sendo que, felizmente, correu tudo bem.

Deste modo, pude curtir uma tarde de domingo diferente do meu habitual. Valeu a pena sair um pouco da rotina!

Ótima semana a todos!

domingo, 17 de junho de 2018

Será esta a Copa da frieza?



Neste domingo, a bola começa a rolar para o Brasil na maior competição futebolística do planeta. Porém, desde que me entendo por gente, nunca vi o nosso povo tão apático diante de um Mundial como agora. 

Com exceção da Copa de 1978, quando eu tinha apenas 2 anos, sempre vi a nossa população em festa nas vezes em que a seleção entrava em campo. Recordo exatamente dos jogos de 1982, já com meus seis anos de idade, quando minha avó materna se agitava a cada gol marcado pela seleção canarinho a ponto de bater na velha geladeira que ficava na sala da casa. E a vila onde ela e minha bisavó moravam estava toda enfeitada de bandeirinhas verdes e amarelas, com um enorme desenho do mascote "Laranjito". E a cada vitória, era a maior vibração entre os vizinhos até à inesperada derrota do Brasil para a Itália nas oitavas.

Sucessivamente, em todas as copas posteriores do século passado e as duas primeiras deste continuaram sendo marcadas com festas e outras animações. Recordo perfeitamente das músicas que faziam a ponto de serem gravados LPs e CDs, das programações na TV que batiam elevados recordes de audiência, das vinhetas exibidas no intervalo dos jogos na Globo pelo Araquém (personagem interpretado pelo humorista José Antônio de Barros no Mundial de 1986).

A partir de 2010, fui sentindo uma mudança no termômetro dentro da sociedade. Embora as ruas permanecessem sendo enfeitadas para a Copa, algumas vozes nas redes sociais de internet e nos artigos na imprensa passaram a lançar questionamentos críticos em relação ao futebol. Eu mesmo postei neste blogue o texto intitulado Onde estará a torcida depois da copa?, no qual havia questionado justamente a alienação da maioria da população com relação à política. E assim escrevi:

"(...) Uma nação não pode viver apenas de futebol! Um país como o Brasil, cheio de problemas sociais, com crianças e adolescentes sendo usados como “soldados” pelo tráfico de drogas, com pacientes idosos a espera de atendimento nos hospitais público, esgoto correndo a céu aberto em várias cidades e despejado in natura nos nossos rios, redes deficientes de transportes coletivo, milhões de famílias vivendo em precárias condições de moradias, muita gente desempregada e Maracanãs de florestas sendo devastadas diariamente na Amazônia, sinceramente não dá para nos iludirmos com as comemorações dos esportes como se tudo se resumisse ao gol de placa do time campeão. Mais uma vez pergunta-se: onde está a torcida nestas horas? (...)"

Consequentemente, a Copa de 2014 foi marcada por intensos protestos que se iniciaram desde os movimentos de junho de 2013. Independentemente da derrota por 7 a 1 para a Alemanha nas semifinais, a decepção da torcida havia se dado com a contradição entre construir caríssimos estádios e faltar os serviços mais essenciais para a população. Tal goleada teria sido apenas algo emblemático dentro do contexto por nós vivido. Afinal, eram bilhões e bilhões de reais sendo jogados fora com obras que demoraram para ser entregues (com superfaturamento) e outras relativas à infraestrutura das cidades sede do evento que até agora encontram-se paradas devido á corrupção.

Em 2018, como resposta a tudo isso, tenho visto manifestações nas redes sociais contrárias à Copa. Pessoas escrevem em seus perfis no Facebook que não estarão se importando mais com os jogos. E, nas ruas, raramente encontro alguma casa enfeitada como era antigamente nos meus tempos de criança e de adolescente. Até que uma internauta, oportunamente, compartilhou um artigo que achei bem interessante:

"(...) Fico pensando...cadê a alegria da Copa? Cadê o Patriotismo? Cadê a União dos vizinhos? ...
O tempo passou, tantas coisas aconteceram.
Inclusive tantas decepções com os governantes. Decepção até mesmo com os jogadores, que se vendem fácil, que não.jogam mais por amor e garra e sim pelos milhões que irão receber ganhando ou perdendo. E nem pensam que quando perdem o Brasileiro sofre. Sofre sim porque uma das grandes alegrias em massa é ainda o futebol, que é esporte, é saudável e é alegria sempre.
Tantas mudanças com a era do celular no topo e tantas distâncias entre as pessoas. Os vizinhos hoje muito mal falam bom dia. Uns falam, outros nem fazem questão. Muitos hoje não esperam o momento do jogo chegar para torcer e sim esperam a trégua para saírem mais cedo do trabalho ou aquela paradinha para o jogo. Vejo tantas lojas abarrotadas de assessórios para a copa e tenho dó e torço que vendam tudo, apesar que tb sei que a maioria dos produtos são acumulados e sobra de outras copas. Triste isso.
É triste ver e perceber essa mudança e saber que os jovens e crianças de hoje não viverão o que eu e muitos de vcs viviam anos atrás (...)" - Trecho da postagem de autoria de Luciana Silva, extraído de seu perfil no site de relacionamentos Facebook em https://www.facebook.com/lucianappsilva/posts/1697311680346798 

De acordo com uma pesquisa do Datafolha divulgada dia 12/06 pelo jornal Folha de S. Paulo, foi confirmado esse desinteresse dos brasileiros pela Copa do Mundo. Pois, segundo os dados apurados, 53% dos entrevistados afirmaram não ter nenhum interesse pelo mundial de futebol, sendo que, às vésperas da competição de 1994 (ano em que essa pesquisa foi feita pela primeira vez), apenas 20% dos brasileiros se declaravam desinteressados.

Acho que o momento atual do Brasil, por mais que esteja ruim, não pode roubar de nós esta alegria. Por isso, desejo que possamos nos animar conscientemente para este Mundial pois a alegria das copas sempre fez parte da nossa cultura. Pois, afinal, esporte é vida e o trabalho de uma equipe precisa ser prestigiado independentemente dos problemas que hoje estamos enfrentando. 

Salve a seleção!

sexta-feira, 15 de junho de 2018

Mais um prefeito tem o seu registro de candidatura cassado pela Justiça!



Escrevi algumas vezes no blogue acerca da Lei da Ficha Limpa e da sua polêmica aplicabilidade relativos a fatos anteriores à sua vigência, por haver a norma fixado novos requisitos de idoneidade moral aos candidatos nas eleições. Nesses textos de minha autoria, não deixei de mencionar o fato de que o pleito majoritário aqui no Município de Mangaratiba, ocorrido em 02/10/2016, encontrava-se sub judice por conta da controvérsia gerada quanto à situação jurídica do candidato a prefeito da chapa vencedora, Sr. Aarão de Moura Brito Neto (PPS).

Assim, por decisão unânime durante a sessão desta última quinta-feira (14/06), eis que o Plenário do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) finalmente cassou o registro de candidatura do mencionado político. A relatora do caso, ministra Rosa Weber, destacou que a condenação por abuso de poder ocorrera nas eleições de 2008, quando Aarão também havia sido eleito para comandar a cidade. E, ao proferir seu voto, a magistrada lembrou que o prazo de inelegibilidade teve início no dia 05 de outubro daquele ano e só findou em 05 de outubro de 2016. Só que, como o pleito de 2016 ocorreu no dia 2 de outubro, o fim do prazo de inelegibilidade se deu posteriormente à data da eleição.

Tal posicionamento foi seguido pelos ministros Luis Roberto Barroso, Napoleão Nunes Maia Filho, Og Fernandes, Admar Gonzaga, Tarcisio Vieira de Carvalho Neto e ainda pelo presidente da Corte, ministro Luiz Fux. Pois, afinal, trata-se de uma questão que já havia sido pacificada pelo Supremo Tribunal Federal, de modo que, superada as questões processuais, o Douto Colegiado apenas aplicou o entendimento já fixado pelo Supremo Tribunal Federal (STF) no Recurso Extraordinário de n.º 929670. Neste outro processo, em 01/03/2018, o Pretório Excelso havia afirmado que a inelegibilidade de oito anos pode ser aplicada a casos anteriores à vigência da Lei da Ficha Limpa.


Certo é que o processo envolvendo Mangaratiba, assim como os recursos sobre as eleições de Rio das Ostras, Teresópolis e Cabo Frio, faziam parte de uma lista de casos que se encontravam sobrestados no TSE, apenas aguardando a decisão do STF. Porém, assim que houve a pacificação da questão, todos esses feitos passaram a ser julgados desde então. (clique AQUI para ler o artigo sore o recurso extraordinário com repercussão geral)

Agora, com esse resultado, assim que for publicado o acórdão da decisão de ontem, o presidente da Câmara Municipal de Mangaratiba deverá ser notificado para que assuma o cargo de prefeito interinamente tal como foi nas outras cidades. Por sua vez, as eleições suplementares precisarão ser marcadas para a escolha de novos prefeito e vice num mandato tampão que durará até o final de 2020 como ocorreu dia 03/06 em Teresópolis e deverá se repetir nos municípios de Cabo Frio e Rio das Ostras em 24/06.

Deste modo, todos aguardam com muita ansiedade aqui quando será o novo pleito, muito embora não seja possível ainda determinar quando será a data. Até mesmo porque o primeiro semestre de 2018 está terminando e teremos, em breve, o cumprimento do calendário das eleições gerais no país previstas para outubro. Logo, é bem provável que, só nos primeiros meses do próximo ano, o cidadão magaratibense irá escolher quem serão os seus novos prefeito e vice-prefeito.

Que tudo se resolva bem até lá!

terça-feira, 12 de junho de 2018

Um dia para comemorar o namoro



São quatro os dias no ano que não posso esquecer de lembrar da minha mulher: sábado de Carnaval (quando nos conhecemos pela primeira vez), 04/03 (data do nosso casamento), 26/04 (aniversário dela) e 12/06 (Dia dos Namorados aqui no Brasil). Desses o que menos festejamos é justamente o evento de hoje.

No entanto, pode-se dizer que o Dia dos Namorados seria umas das principais datas do nosso comércio varejista, ficando apenas atrás do Natal e dos Dia das Mães, podendo alternar-se com o Dia dos Pais e com a Páscoa. Aliás, foi justamente para isso que o publicitário João Agripino da Costa Doria Neto (1919 — 2000) lançou a ideia, aproveitando-se do fato de ser a véspera do Dia de Santo António, considerado popularmente como um santo "casamenteiro". Doria apresentou a sua proposta aos empresários paulistas, os quais iniciaram as comemorações em junho de 1949 com o slogan "não é só com beijos que se prova o amor".

Certo é que a ideia de Doria expandiu-se pelo Brasil, amparada pela correlação com o Dia de São Valentim, o qual, nos países do hemisfério norte, ocorre em 14/02, sendo utilizado justamente para incentivar as trocas de presentes entre os casais apaixonados. E de 1949 para cá, praticamente todos os namorados, noivos e pessoas casadas no país passaram a festejar esse dia de alguma maneira.

Os produtos mais vendidos nessa época costumam ser os perfumes, cosméticos, anéis, brincos, colares, roupinhas da moda, celulares, flores e, se a mulher não estiver de dieta, até uma caixinha de bombom vale. Dar um artigo de cozinha hoje pode ser visto como algo ofensivo para muitas esposas por mais necessário que seja o bem ofertado no cotidiano de uma família. Já os homens podem preferir ser presenteados com aquilo que utilizam com maior frequência muito embora as namoradas (no sentido lato) queiram escolher algo que tornará seus companheiros mais agradáveis ao próprio gosto delas. Claro que, nessa época, a dúvida toma conta de muitos. Principalmente dos consumidores masculinos quando vão às compras pensando no que agradará à amada.

É claro que o Dia dos Namorados não se resume à aquisição de um bem nas lojas. Existe também a contratação de serviços pois qual mulher não adora receber um convite para jantar, talvez assistir a uma sessão de cinema num shopping e terminar a noite glamurosamente num lugar diferente? Aliás, a ABMOTÉIS - Associação Brasileira de Motéis - espera que o movimento cresça em mais de 20% não só na noite de hoje como no mês. Pois, aproveitando o momento, promoções chegam a ser oferecidas em vários estabelecimentos mais dispostos a agradar o cliente, incluindo vendas antecipadas com desconto, parcelamentos, prêmios e um atendimento refinado. E, por mais que a procura seja maior nesses dias de junho, trata-se de uma oferta inteligente pois tem por objetivo estimular o retorno do consumidor durante outras vezes no ano.

Seja como for, esse não é um dia para ser passado em branco por quem é casado, convivente em união estável, noivo ou está apenas namorando com alguém sem haver um compromisso mais sério. E, mesmo que a distância separe os amantes, vale a pena postar um cartãozinho nos Correios como se fazia antigamente ou, no mínimo, comunicar-se dando uma atenção especial para a outra pessoa através da internet que hoje, com a ajuda da tecnologia, já permite uma conversação com imagens e voz em tempo real sendo que, conforme os gostos de cada casal, troca-se muito mais do que simples mensagens carinhosas nos smartphones...

Mesmo para quem for fazer um jantar romântico no lar doce lar, sempre há dicas para sair da rotina e apimentar a relação. Pois, se o marido chegar em casa com uma linda flor, tomar um bom banho, preparar-se para a esposa cuidando do asseio corpo, surpreendê-la com uma lingerie de renda como presente e trazer um imã de geladeira romântico e uma almofadinha com o escrito "eu te amo" já será  estará fazendo algo fora do habitual. E, se bobear, ele estará desembolsando menos de R$ 50,00 (cinquenta reais), mas fará com  que o momento se torne inesquecível desde que seja criativo, carinhoso e atencioso

Enfim, vou parar de escrever e desejar a todos os casais que aproveitem bem a data, torcendo, ao mesmo tempo, para que os solteiros, ao invés de sofrerem, arrumem maneiras de se divertir conformadamente. Como diz o ditado, "antes só que mal acompanhado", sendo que muitos são os que andam por aí desgostosos com um casamento infeliz. 

Um ótimo Dia dos Namorados para todos!

sexta-feira, 1 de junho de 2018

O encontro do ano



Para a data de 12/06, quando comemoramos por aqui o Dia dos Namorados (creio que seja o terceiro "Natal" do comércio), dois rivais que tanto se atacaram em 2017 deverão se encontrar em Singapura: Donald Trump e Kim Jong-un.

Quando lembro que, há menos de um ano, a tensão na Ásia estava tão grande a ponto de alguns esperarem que houvesse por lá até mesmo uma avassaladora guerra atômica, eis que agora tudo caminha para a paz e o desarmamento nuclear da Coréia do Norte. Ainda bem.

É certo que essa desnuclearização não virá de graça. Acredito que, além da retirada das sanções econômicas, os norte-coreanos deverão sair com algumas outras vantagens. E não duvido que haja um projeto muito maior em vista como, por exemplo, uma aproximação com a vizinha Coréia do Sul. Sem esquecermos de que Kim Jong-un melhorará muito a sua imagem com o restante do mundo, conseguindo novos acordos comerciais.

De qualquer modo, não acho que Trump estará perdendo algo com isso a ponto da Casa Branca ter até lançado uma moeda comemorativa do esperado encontro (ver foto acima). Pois tendo em vista que, daqui uns dois anos, haverá eleições presidenciais nos Estados Unidos e que ele tentará a reeleição, eis que um êxito com a Coréia do Norte poderá ofuscar os notórios entendimentos com Cuba obtidos na era Obama.

Com uma mudança de atitudes em tão pouco tempo, podemos dizer que ambos os líderes ficaram meses jogando pôquer entre si a cada teste de míssil ou ameaça de guerra. Só que que nada daquilo poderia se concretizar pois não haveria vitória para a Coréia do Norte e os americanos amargariam enormes prejuízos econômicos com um eventual conflito ali que fizesse uso de armas de destruição em massa.

Espero, com toda sinceridade, que haja a consolidação da paz na região e que o encontro venha a servir de exemplo para todo o planeta no sentido de mostrar a necessidade de se chegar a soluções pacíficas. Pois, afinal, o mundo de hoje já não comporta conflitos de grandes proporções devendo ser o diálogo a via adequada para uma composição entre as partes.

Ótimo final de semana a todos!

Uma sexualidade vivida com mais prazer e conhecimento



"Então acontece mesmo que quanto mais sexual uma pessoa é, mais inventiva ela pode ser. Quando mais sexual uma pessoa é, mais inteligente é. Com menos energia sexual, menos inteligência existe; com mais energia sexual, mais inteligência, porque o sexo é uma procura profunda para revelar, não apenas corpos, não apenas o corpo do sexo oposto, mas também tudo que está escondido." (Osho, em The Ultimate Alchemy

Começo o frio mês de junho escrevendo sobre um assunto super quente - sexo. Algo que, apesar de ter mudado muito nos últimos 50 anos, ainda é tabu para uma significativa parcela da sociedade brasileira.

Por esses dias eu estava lendo a respeito da massagem yone, a qual, por sua vez, é uma das modalidades da massagem tântrica, tendo se tornado uma prática cada vez mais procurada ultimamente tanto por mulheres solteiras quanto por casais.

Mas, afinal, o que vem a ser isso?

Para melhor entendermos o assunto, há que se estudar um pouco a respeito do Tantra, o qual é uma filosofia que abrange ensinamentos e práticas originados na antiga sociedade indiana, tendo por objetivo o desenvolvimento integral do ser humano nos seus aspectos físico, mental e espiritual. É um termo sânscrito bem amplo que pode significar "uso, trama, tecer".

Certamente que o Tantra não se restringiu ao Hinduísmo pois se misturou com diversas outras culturas e correntes filosóficas como o Vedanta, o Yoga, o Budismo e o Taoísmo, somente se tornando mais conhecido no Ocidente a partir das últimas cinco décadas. Principalmente entre os místicos e esotéricos (muitos deles baseados nos ensinos do guru Osho), havendo no Brasil várias escolas iniciáticas.

Todavia, graças à internet e ao interesse das pessoas por temas ligados à saúde, vários ensinamentos do tantrismo divulgaram-se rapidamente, sobretudo quanto à sexualidade. Aliás, pode-se dizer até que os sites pornográficos têm promovido vídeos sobre massagens eróticas inspiradas no tantrismo embora totalmente desconectados com os seus conceitos filosóficos básicos. E não descarto que esteja havendo até uma larga comercialização dessas práticas como serviços prestados e que estariam divorciados até dos seus aspectos terapêuticos.

Para um pesquisador voltado para o saber científico e que busca ter a sua mente fora da gaiola, estudar o tantrismo e sua aplicação à sexualidade poderá não ter conotação religiosa, porém há que se respeitar tal conhecimento das tradições orientais, considerando o milenar alcance da qualidade de vida pelas sociedades que experimentam esses ensinos. Pois, em que pareça ser conhecimento empírico, este jamais deve ser desprezado pela mente que busca sistematizar tudo pela razão e creio que assim age um massoterapeuta interessado em atuar na área.

Indo agora direto às massagens eróticas, falarei um pouco da yoni, uma palavra no idioma sânscrito e que funciona como um sinônimo para "vagina", que, no Tantra, é conhecida como o "espaço sagrado" ou o "templo sagrado". E, assim sendo, devemos considerar que um entendimento desses induz à ideia de amor e respeito pela sexualidade feminina.

Como consequência, um dos objetivos do chamado sexo tântrico consiste em proporcionar mais prazer à parceira, desde o relaxamento e excitação até o orgasmo. Daí a massagem yoni tem sido vista como uma excelente ferramenta para se construir a intimidade e a confiança num relacionamento.

Por outro lado, independentemente da questão do relacionamento afetivo, tal massagem tem ajudado muitas mulheres a romper bloqueios e traumas sexuais. E, além de contribuir para o alcance do orgasmo, há vários efeitos emocionais que são percebidos no cotidiano, ligados, por exemplo, à autoestima pessoal, ao domínio próprio, ao relaxamento e ao bem estar.

De modo algum pretendo neste artigo dar uma aula sobre um tema acerca do qual eu seria tão somente um pesquisador neófito. Porém, o que podemos apurar na atualidade é que a visão sobre a sexualidade mudou muito já que as parcelas mais esclarecidas da nossa sociedade tem buscado vivenciar o sexo livre dos tabus e dos valores impostos pela cultura religiosa repressora do cristianismo.

Por óbvio que para quem vive engaiolado dentro de uma igreja tais conhecimentos vindos do Oriente acabam sendo associados ao "pecado", ao paganismo e até demonizados. Pois, ainda que os segmentos católico e evangélico tenham experimentado alguma evoluções nos últimos 50 anos, dificilmente uma cristã religiosa aceitaria de boa consciência buscar a ajuda de um(a) terapeuta, ainda que o profissional não demonstre qualquer interesse sexual na sua pessoa. Ela mesma, caso seja uma radical, talvez recusaria tocar nas partes íntimas de seu próprio corpo ou, se bobear, nem permitir que o marido venha a fazer nela a massagem erótica temendo contrariar algum preceito da Bíblia.

De qualquer modo, as reações dos segmentos dominantes da religião cristã não impedem o crescente estudo acerca da sexualidade humana. Pois, muito pelo contrário, vejo pessoas hoje em dia querendo se informar mais sobre sexo e se tratarem de distúrbios que afetam os seus relacionamentos. Daí serem muitos os que, na atualidade, dispõem-se a enfrentar de peito aberto problemas tipo a frigidez, a falta de orgasmos, as dores relacionadas ao sexo, a ejaculação precoce, a impotência.

Quanto ao público masculino, talvez seja o machismo o maior dos obstáculos para o bem estar sexual já que muitos homens preferem negar que sofrem de alguma disfunção. Porém, os que se libertam dessa outra gaiola comportamental costumam se tornar aptos para serem mais felizes na cama com a parceira e até resgatarem um relacionamento fracassado. Inclusive aprendendo sobre novas maneiras de proporcionar prazer à sua mulher.