Páginas

domingo, 5 de abril de 2015

A família, a genealogia e as nossas origens ancestrais




No mês passado, ganhei um valioso presente que fala sobre a  genealogia e as origens da Família Luz, constante em meu último sobrenome.

Inicialmente eu havia recebido de meu avô materno Georges um curioso cordel de bolso composto pelo advogado e economista Dr. Francisco Teotônio da Luz Neto em parceria com Pedro Costa. Vovô, por sua vez, havia ganhado a obra do namorado de minha mãe que mora em Brasília, a qual, em sua companhia, teria estado numa palestra ocorrida em fevereiro, na capital federal, sobre literatura de cordel.

Como desde a época de minha infância sou interessado nos estudos sobre genealogia e sempre busquei conhecer as origens de meus antepassados, resolvi pesquisar sobre o autor na internet e, no dia seguinte, fiz um contato com ele através de seu e-mail do Recanto das Letras. Escrevi-lhe assim:

"Bom dia! Conheci ontem o interessante cordel da família Luz que compôs junto com Pedro Costa. Muito interessante! Faço parte da décima geração dos Luz que chegaram a Santa Catarina em meados do século XVIII, através de um casal de agricultores açorianos. Vivo no litoral fluminense e mais precisamente em Muriqui, 4º Distrito de Mangaratiba. Aproveito a oportunidade para parabenizá-lo pela obra e pela iniciativa em pesquisar acerca do nosso sobrenome. Ótimo final de semana e tudo de bom!"

Prontamente, o Dr. Teotônio Luz respondeu-me na mesma data falando-me sobre suas quatro décadas de estudos genealógicos acerca da Família Luz, o que o levou a viagens por quase todo o país e também por quatro continentes. Esteve, inclusive, em Lisboa, onde, no Arquivo Nacional da Torre do Tombo, encontrou o registro do primeiro Luz que veio para o Brasil.

Em seu dedicado trabalho, Dr. Teotônio empreendeu a identificação de umas 15.000 pessoas que estão biografadas em um livro com 948 páginas - GENEALOGIA DA FAMÍLIA LUZ, cuja capa corresponde à da imagem acima. Na obra, o autor escreve também sobre as genealogias bíblicas, apresenta cinco históricos a respeito do sobrenome Luz na Península Ibérica (dois na Espanha e três em Portugal) e informa ser a cidade piauiense de Picos como o maior núcleo dessa numerosa família no país, tendo me passado os seguintes esclarecimentos na sua mensagem de resposta:

"Esse livro foi lançado na cidade de Picos-Piauí em 2004 em solenidades e festejos de três dias com mais de mil pessoas presentes, vindas de 13 Estados do Brasil e várias autoridades, inclusive o Senhor Governador do Piauí na época Wellington Dias, etc. Estou remetendo em anexos uma foto do livro, bem como um Comunicado que fiz logo após o lançamento do livro para os parentes e autoridades e ainda Um Resumo de como se pode incluir informações para uma possível segunda edição do livro, etc. onde há maiores informações a respeito. O livro está em várias e principais bibliotecas do Brasil e do mundo. O Cordel foi feito depois para maior divulgação dessa história toda, etc.  Os meus dados completos estão na assinatura abaixo. Estamos ao seu inteiro dispor. Um abração. Sempre."

Mantendo contato, compartilhei os dados que possuo acerca de minha origem genealógica, mais especificamente quanto ao sobrenome Ancora da Luz, algo que o Dr. Teotônio até então desconhecia, muito embora ele houvesse pesquisado sobre os Luz de Santa Catarina e se inteirado do ramo Pinto da Luz. E aí fui surpreendido pela iniciativa do autor em presentear-me com seu precioso livro de 948 páginas, tratando-se, pois, de um vasto material para consulta. Uma obra que fala de vidas e muitas vidas...

Foi justamente folheando o livro que encontrei uma citação atribuída a Helvídio Nunes de Barros durante o primeiro centenário de Picos, quando o ilustre filho dessa cidade assim advertiu:

"Pobres daqueles porém, que não conhecem o passado, que não se inspiram no passado, que não respeitam o passado, que não aprendem com o passado, que não têm memória, que não cultuam o passado. Triste do ovo que não tem memória, que não tem passado." - Pág. 169

Pois bem. Se consultarmos as Escrituras Sagradas, observaremos quanta importância davam os judeus às genealogias e às histórias de seus ancestrais. Tanto é que, após o cativeiro babilônico, há no Livro de Esdras uma contagem dos israelitas que vieram com Zorobabel, incluindo os de linhagem sacerdotal. Também nos evangelhos de Mateus e de Lucas constam duas árvores genealógicas de Jesus Cristo.

Acredito ser de grande utilidade mantermos vivas as histórias que conhecemos sobre nossos pais transmitindo-as aos filhos e netos. Mesmo numa época em que a família de certo modo encolheu (e agora passa por uma crise conceitual sem precedentes), precisamos relatar às crianças os feitos positivos de seus avós, bisavós e tataravós afim de que elas tenham exemplos dignos para se inspirarem do mesmo modo como encontramos fortes motivações nos personagens bíblicos. Aliás, indo mais além, eu acrescentaria que até a pessoa adotada pode orgulhar-se da família que a recebeu da mesma maneira que nós cristãos passamos a estabelecer uma identidade espiritual com Jesus e com todos os seus ancestrais bíblicos, tornando-nos filhos de Abraão na fé.

O aprendizado de tudo isso é reconhecermos que a existência humana se perpetua em família. Para vir a este mundo, o Salvador precisou de uma família assim como todos nós. Corajosamente, José e Maria protegeram o filho do ódio de um rei sanguinário quando fugiram de Belém indo para o Egito. Sua mãe o amamentou, acompanhou seus primeiros passos, ensinou-lhe a pronunciar as primeiras palavras e, anos depois, aquele humilde casal de Nazaré viveu um momento de enorme tensão quando os pais perceberam a ausência do menino para trás quando retornaram do Templo de Jerusalém. E, dolorosamente, Maria ainda acompanhou os sofrimentos de nosso Senhor, momento em que foi significada como mãe do discípulo amado e, por consequência, nossa mãe também:

"Perto da cruz de Jesus estavam sua mãe, a irmã dela, Maria, mulher de Clopas, e Maria Madalena. Quando Jesus viu sua mãe ali, e, perto dela, o discípulo a quem ele amava, disse à sua mãe: 'Aí está o seu filho', e ao discípulo: 'Aí está a sua mãe'. Daquela hora em diante, o discípulo a levou para casa." (João 19:25-27; NVI)

Igualmente, meus amigos, creio ser fundamental honrarmos nossas famílias e a memória dos ancestrais. Devemos também conceder aos nossos filhos, netos e sobrinhos o direito de se orgulharem de seus parentes, dialogando sempre com as crianças para que elas aprendam o valor da instituição familiar bem como possamos, por tal via de mão dupla, instruí-las no conhecimento das Sagradas Escrituras.

Uma ótima semana a todos!

35 comentários:

  1. Como escrevi no texto, desde a infância eu pretendia conhecer mais sobre as origens de meus antepassados, mas meu avô paterno cel. Sylvio Ancora da Luz só sabia contar até à geração do bisavô dele - o marechal e político Francisco Carlos da Luz (Praia Comprida, município de São José, 29 de outubro de 1830 — Rio de Janeiro, 21 de janeiro de 1906). Este consorciou-se a 9 de junho de 1855 com Maria Bárbara de Moraes Âncora (1826-1905), filha do engenheiro militar Firmino Herculano de Morais Âncora com Francisca Ludovina de Gusmão Lobo.

    Francisco Carlos deixou quatro descendentes, dentre os quais duas filhas, sendo avô de Edmundo da Luz Pinto, um dos mais representativos dentre os parentes e colaboradores de Hercílio Luz, governador de Santa Catarina. Com o falecimento de um de seus filhos em idade ainda jovem, o engenheiro Francisco Carlos Ancora da Luz (1858-1888), o qual fora casado com sua prima Maria Luiza de Morais Ancora, o marechal ajudou na educação dos netos durante o final de sua vida na cidade do Rio de Janeiro, dentre os quais pode-se mencionar o Oficial de Marinha Francisco Âncora da Luz, meu bisavô.

    Bem, essas informações eu acrescentei na Wikipédia (ver http://pt.wikipedia.org/wiki/Francisco_Carlos_da_Luz ) após ter conhecido os estudos do Sr. Márcio Pinto da Luz, um outro ramo catarinense dos Luz em Florianópolis descendentes do mesmo casal de açorianos que chegou à Santa Catarina em meados do século XVIII. Cheguei a trocar alguns emails com o Márcio e, mais tarde, soube que ele chegou a publicar um livro com base nessas pesquisas mas que ainda não tive a oportunidade de ler.

    Meu bisavô Francisco Ancora da Luz casou-se com Nadina Dietrich Ancora da Luz (nome de casada) e tiveram três filhos e duas filhas, a saber: o primogênito Arnaldo (pai do Sérgio), Ivete, Lucy, Sylvio e Arnaldo.

    Já o vovô Sylvio (Rio de Janeiro, 17/06/1917 - Juiz de Fora (MG), 30/05/2005) casou-se em primeiras núpcias com minha avó Darcília Ferreira da Silva Pinhão (Rio de Janeiro, 14/11/1921 - Mangaratiba, 27/09/2011) foi oficial do Exército brasileiro da arma de artilharia seguindo a tradição familiar (na maioria engenheiros e/ou militares). Teve apenas dois filhos, a saber, meu pai, o engenheiro mecânico Francisco Carlos Ancora da Luz (Rio de Janeiro, 13/11/1946 - 26/09/1983), falecido prematuramente aos 36 anos, e a arquiteta e assistente social Maria de Lourdes Ancora da Luz (Itu, 20/08/1950), casada com Julio Cesar Siqueira Coelho.

    Quanto ao meu finado pai, casou-se com Myrian Phanardzis em 1974 e gerou apenas a mim que nasci dia 12/04/1976 no Rio de Janeiro.

    Formado em Direito, no campus de Nova Friburgo da Universidade Estácio de Sá em 2004, moro com minha esposa Núbia Mara Cilense Phanardzis Ancora da Luz (Niterói, 26/04/1969) no município de Mangaratiba. Casamo-nos em 04/03/2006, na cidade de Nova Friburgo, e não temos filhos.

    ResponderExcluir
  2. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  3. oi eu gostaria de fazer parte da arvore genealógica da família luz pois a minha vó josefa vem de picos Piauí ela e minha bisavó aonde ela me contava que a sua família tinha vindo de Portugal e nos temos um grande numero de pessoas da família da luz que mora em Caxias Maranhão bem perto de Teresina Piauí são todos da família luz meu nome e Yolanda santos luz, nasci em Caxias mas moro em são Luis Maranhão e tenho outros da nossa família que mora em Teresina Piauí

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Marcos.

      Muito legal o seu interesse por genealogia!

      Acho que seria sugestivo você entrar em contato com o autor do livro que é o Dr. Francisco Teotônio da Luz Neto, conforme fiz escrevendo-lhe uma mensagem eletrônica através do site "Recanto das Letras" cujo endereço do perfil do autor é:

      http://www.recantodasletras.com.br/autor.php?id=31012

      Por ali mesmo você poderá fazer contato e acredito que ele terá uma grande satisfação de receber sua mensagem.

      Um abraço.

      Excluir
  4. Muito Legal! Também sou da família Luz e fiquei muito interessada em tudo o que o sr escreveu!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá!

      Primeiramente obrigado por sua leitura e comentários.

      Aproveitando a oportunidade, embora não tenha se identificado, gostaria de saber de qual região você é e de onde vieram os seus parentes com o sobrenome Luz.

      Ótimo final de tarde!

      Excluir
  5. Olá boa noite,
    Estou pesquisando sobre as origens de minha família e acredito que também sou da família Luz.
    Sou descente de Maria Pinto da Luz, da cidade do Rio de Janeiro, bairro Estácio, morou lá por volta do início dos anos 1900.
    Será que o senhor poderia me ajudar a encontrar mais informações?

    Desde já agradeço a atenção.
    Boa noite

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bom dia, Raul!

      Primeiramente obrigado por sua visita e comentários em meu blogue.

      Acredito que devemos ter um ancestral comum no estado de Santa Catarina. Não conheço toda a genealogia de sua ascendente, mas posso esclarecer que os Pinto da Luz seriam um ramo que se formou no referido estado sulista. Logo os Pinto da Luz seriam "primos" dos Ancora da Luz.

      Interessante que existem também os Da Luz Pinto. Estes vieram do casamento de ISABEL ANCORA DA LUZ (filha do Marechal Francisco Carlos da Luz) com EDMUNDO PINTO. Já os Pinto da Luz sei que têm origens nos casamentos de ascendentes e colaterais do Mal. Luz. Vejam as citações de um site que encontrei na internet certa vez falando sobre o governador catarinense Hercílio Luz:

      "João Pinto da Luz, foi o mais representativo dos tios políticos de Hercílio Luz. Mas já era falecido em 1866.
      Comendador do Império, teve atuação política notável na Província de Santa Catarina, como líder do Partido Conservador e seu deputado em várias legislaturas. Representativo comerciante, encontrava-se estabelecido à rua Augusta, saindo pelos lados da praça central. Sua importância resultou em que a rua Augusta passasse definitivamente a ser denominada pelo próprio povo de Rua João Pinto, assim permanecendo até hoje.
      Em primeiras núpcias casou-se com Maria Amália de Matos (filha de Estevão Brocardo de Matos e Felizarda Amália) e em segundas com Francisca Carolina de Siqueira (filha de Félix Lourenço de Siqueira e de Francisca Carolina), com filhos de ambos os consórcios.
      No complexo quadro dos Pinto da Luz, os que se destacaram, uns foram seus filhos, outros seus netos, outros ainda seus bisnetos, e assim por diante. Alguns mesmo repetem o nome do remoto Comendador.
      Hoje, tem destaque Dr. Rodolfo Joaquim Pinto da Luz (vd), nascido em 30 de julho de 1948, em São Francisco do Sul, filho de João Pinto da Luz e Mary da Fonseca. Seu pai fixara residência em São Francisco como fiscal federal. Formado em Direito, Rodolfo galgou cedo duas vezes a Reitoria da Universidade Federal de Santa Catarina.
      O Almirante José Pinto da Luz (1843-1903), filho do Comendador João Pinto da Luz. Lutou na guerra do Paraguai. Comandante da Escola de Aprendizes Marinheiros. Foi Ministro da Marinha no Governo Campos Salles (1898-1902)"

      Provavelmente essa sua tataravó possa ter descendido ou ter sido sobrinha, irmã, tia, prima, esposa ou cunhada de algum desses importantes nomes da história de Santa Catarina!

      |Espero tê-lo ajudado.

      Abraços.

      Excluir
    2. Em tempo!

      Houve um parente seu, o Almirante Arnaldo Pinto da Luz, que teria sido Ministro da Marinha. Seria ele, segundo relato de uma parenta minha residente no Estado de S. Paulo, um sobrinho do Marechal Luz!

      Esse Mal. Luz foi o bisavô de meu avô...

      Excluir
    3. Em tempo 2!

      No finado Orkut, há uma comunidade da Família Pinto da Luz, a qual consegue localizar também pelo Google com facilidade:

      http://orkut.google.com/c1584033.html

      Mesmo que não dê para interagir mais com os participantes dali, devido à desativação do esquecido site de relacionamentos, acredito ser possível pesquisar informações valiosas sobre os Pinto da Luz consultando os tópicos disponíveis.

      Excluir
  6. Olá! Gostaria de saber a origem e a história do sobrenome Luz, por favor? Obrigada desde já!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bom dia, Isabela.

      Conforme li no livro do Dr. Teotônio, o sobrenome Luz pode ter várias origens distintas ou seria de origem incerta. Quando troquei mensagens com o autor por email, ele me passou o endereço deste site:

      www.familialuz.com.br

      Há brasões diferentes da família. E a chegada dos Luz no Brasil surgiu através de várias migrações, o que significa que já havia muitas pessoas com tal sobrenome na Europa. Sugiro contato com o autor através do Recanto das Letras como fiz acessando http://www.recantodasletras.com.br/autor.php?id=31012

      Boa sorte em sua pesquisa!

      Excluir
  7. Olá.. também tenho o sobrenome Luz e a minha família é muito grande. Rsrsrs sempre tive curiosidade em saber se a família Luz é uma só. Muito legal o seu texto. Parabéns

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não sei se vai aparecer meu nome pq fiquei confusa ao colocar mas é Ana Luísa Esquerdo Luz

      Excluir
    2. Boa tarde, Ana Luísa!

      Primeiramente quero agradecer por sua leitura e comentários.

      Sem dúvida foi de grande valia o livro que recebi autografado do Dr. Francisco Teotônio da Luz Neto que elucida essa questão, tendo se tornado um presente bem precioso.

      Abraços.

      Excluir
  8. Oiii meu nome é Daniele da Silva luz . Bom não conheço muito a origem do meu sobre nome , mais queria conhecer a verdadeira historia da minha familia

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Daniele.

      Seja bem vinda!

      Fico feliz com o seu interesse e espero que minha postagem tenha ajudado-a com novas informações. Indico a aquisição do livro, caso tenha interesse.

      Um abraço e participe sempre que desejar.

      Excluir
  9. Também gostaria de participar. Meu nome é Gabriel nascimento da luz neto de Francisco Baptista da luz .

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Boa tarde, Gabriel.

      Fico feliz por seu interesse. Sugiro fazer contato com o autor do livro pelo mesmo site que o encontrei (o Recanto das Letras) tal como fiz.

      Abraços.

      Excluir
  10. boa tarde colega ,eu so Jorge Luiz da Luz ,meu pai é Ubirajara da luz Manoél Pedro da Luz foi meu bizavo tio de meu bizavo foi o governador Hercilio Pedro da luz agora que ta o caso não sei se meu bizavo era tio ou filho de Hercilio Pedro da luz tens como me ajudar ? meu gmail é jejserralheriaartistica@gmail.com grato po sua atenção

    ResponderExcluir
  11. Muito interessante... Meu nome é Francisco Carlos Rodrigues Luz, sou da CIdade de Codó-MA e aqui tb tem uma grande familia Luz.

    ResponderExcluir
  12. Olá, amigos. Obrigado pela visita e pelos comentários de vocês. Vale a pena conhecermos e trocarmos idéias sobre as tradições familiares. Abraços

    ResponderExcluir
  13. Olá, amigos. Obrigado pela visita e pelos comentários de vocês. Vale a pena conhecermos e trocarmos idéias sobre as tradições familiares. Abraços

    ResponderExcluir
  14. Oi sou uma das gerações Mais Novas teria como você me informarem se tem como eu ter um exemplar do livro ou ver se tem pra comprar obrigada meu Nome é Luana de Moura Luz tenho 17 anos obrigada.

    ResponderExcluir
  15. Oi sou uma das gerações Mais Novas teria como você me informarem se tem como eu ter um exemplar do livro ou ver se tem pra comprar obrigada meu Nome é Luana de Moura Luz tenho 17 anos obrigada.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Luana. Fico feliz por seu interesse pela genealogia de seus familiares. Sugiro fazer contato com o autor pelo Recanto das Letras e verificar. Ele me retornou de maneira bem solicita quando enviei um email.

      Excluir
  16. Oi me Chamo Emanuela Da Luz sou da Bahia e fiquei muito curiosa com tantas pessoas com o MSM sobrenome que eu

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Emanuela. Seja bem vinda aí blog.

      O nome Luz pode não ser tão comum quanto o Silva, mas tem muita gente com esse sobrenome.

      Sempre é bom conhecermos um pouco das origens de nossos antepassados, não é mesmo?

      Excluir
  17. Olá! Meu nome é Roberto cesar da luz meu pai Sebastião de Oliveira da luz avô Adão gonsalves da luz sou do RS e sempre tive curiosidade de conhecer a origem de meu sobrenome.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, amigo.

      Obriypor sua visita e comentários ao blog.

      Como é um Luz do Rio Grande do Sul, é possível que tenhamos a mesma origem ancestral do casal de açorianos que vei pra Santa Catarina por volta de 1750.

      Abraço e participe sempre que desejar.

      Excluir
  18. Esta família é demais! gigante no tamanho e no amor. Gostaria de anexar algumas fotografias, como faço?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Boa tarde, Flavio.

      Obriga por sua visita e comentários ao blog.

      Acho que pelo sistema do Blogger não dá para anexar fotos nos comentários como se faz no Facebook, por exemplo. Apenas na postagem principal, que eu saiba.

      De qualquer modo, fico feliz com seu contato.

      Sua família é de qual cidade?

      Abraços

      Excluir
  19. Olá, sou Meire Cristina da Silva Luz, filha de José Dias Luz, neta de Manoel Dias Luz e bisavô Silvério Dias Luz, tb quero saber um pouco mais sobre a família Luz, sou do Estado de São Paulo, mas meu pai veio da Bahia...

    ResponderExcluir
  20. Boa tarde,
    Sou tataraneto de Felisberto Moreira da Luz, aqui do estado do RS.
    Você tem informações e fotos ?
    Att,
    Everton de Araujo

    ResponderExcluir
  21. Boa noite. Infelizmente não tenho as informações que desejam. Torço para que tenham êxito nas suas pesquisas. Abraços fraternos

    ResponderExcluir